ISO – Como a Sensibilidade à Luz Pode Influenciar Na Qualidade das Fotografias

Tempo de leitura: 2 minutos

Um dos fatores determinantes para saber se a fotografia ficará nítida é entender, e saber trabalhar a luminosidade a seu favor.

Por isso é tão importante conhecer melhor o ISO da sua câmera.

Decifrando o ISO

ISO (International Standards Organization), velocidade ISO, é a medida que indica quanto um sensor de uma câmera fotográfica é sensível à luz ambiente.

Ao contrário do que muitos imaginam, o ISO não nasceu junto com as câmeras digitais.

Nas câmeras que utilizavam filme de rolo antigamente, o ISO era chamado de ASA, e para fazer fotografias com ASA diferentes era necessário trocar o rolo do filme.

A velocidade ISO (100,200,400,800) vinha especificada na embalagem do filme. Então você tinha que estar sempre preparado para todas as situações.

Hoje, com a tecnologia disponível é possível alterar o ISO a cada foto tirada, sem necessidade de trocar o cartão de memória.

Escala do ISO

 A escala da velocidade ISO vai de 100 até 3200, podendo, em alguns modelos, chegar a até 102400.

De acordo com a escala, a cada vez que o ISO é aumentado, a sensibilidade à luz dobra.

Por isso é importante utilizar apenas em último caso o aumento da velocidade ISO.

Em alguns casos, o aumento da sensibilidade pode ajudar compensando a pouca luminosidade do ambiente, mas em muitos casos o uso do ISO acaba trazendo uma perda significativa na qualidade da imagem obtida.

A maioria das câmeras possui configurações automáticas de fábrica, onde a velocidade ISO normalmente é de 100, considerada normal, proporcionando imagens nítidas.

Onde Utilizar?

 Alguns locais acabam não favorecendo a fotografia, devido a baixa luminosidade.

A utilização da velocidade ISO nesses locais pode compensar essa ausência de luz.

Por exemplo, lugares fechados, como museus e galerias de arte, acabam apresentando baixa luminosidade, que precisa ser compensada de outra forma. O uso de flash é uma alternativa, porém alguns locais não permitem sua utilização.

Nesses casos, o ajuste ISO, combinado a velocidade do obturador e a abertura do diafragma, é o mais indicado.

Outra situação onde o ajuste da velocidade ISO pode ser um aliado é em parques ao ar livre. Durante um dia de sol, esses locais não necessitam desse ajuste, já que a luminosidade é abundante.

Mas, se a sessão de fotos ocorrer já no final da tarde, aumentar o ISO pode fazer fotografias mais nítidas.

Ter esse conceito bem claro em sua mente fará com que você compreenda melhor os ambientes onde deseja fotografar, e examine todas as possibilidades para extrair o melhor resultado possível, mesmo em condições desfavoráveis.

Gostou desse post? Curta nossa página e compartilha com os amigos! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *