História da fotografia no Brasil

Tempo de leitura: 3 minutos

Nos dias de hoje é muito fácil clicar dezenas de imagens durante o dia. As Redes Sociais estão carregadas de ​fotografias​, das mais variadas. Comida, maquiagem, animais de estimação, tudo está registrado e salvo, naquele álbum antigo, ou na nuvem.

A geração que surgiu após a chegada das câmeras digitais e, mais recentemente, dos smartphones, não imagina, em sua maioria, o que era a fotografia antes da revolução digital.

As fotos espontâneas , muitas vezes indiscretas, tomaram o lugar daquelas fotos posadas, naquele almoço de domingo, onde a família toda interrompia o seu almoço para sair bem na foto, que ficaria por muitos anos exposta no álbum da família.

Chegada ao Brasil

Embora existam registros de conceitos e processos que evoluíram até a fotografia que conhecemos, desde o século XVI, a chegada da fotografia ao Brasil ocorreu apenas no século XIX, já durante o Império Brasileiro.

Após uma demonstração ocorrida no Rio de Janeiro, em 1840, Dom Pedro II, ainda com quinze anos, apaixonou-se pela fotografia. Numa viagem à Paris, no mesmo ano, comprou seu primeiro daquerreótipo​.

Antoine Hercules Romuald Florence

Nascido em Nice, o desenhista, pintor e inventor, chegou ao Brasil em 1824.

Após desembarcar no Rio de Janeiro, sem falar português, conseguiu trabalho em uma loja de roupas. Em seguida, conheceu outro francês, com quem acabou trabalhando em uma livraria e também numa tipografia.

Depois de passar por várias regiões do Brasil, instalou-se em Campinas, onde passou a fazer diversos experimentos e invenções.

Em 1833, Florence, utilizou uma câmara escura com chapa de vidro, e realizou a impressão por contato.

Mesmo sem contato com o que acontecia na Europa, após obter esse resultado fotográfico, batizou-o de ​photographie.

Essa descoberta fez com que o Brasil seja considerado um dos pioneiros da fotografia.

Fotoclubismo

No século XX, surgiram no Brasil os Fotoclubes, onde a fotografia passou a ser tratada como arte.

Os primeiros Fotoclubes surgiram na França e Inglaterra, por volta de 1850, com o intuito de desenvolver a fotografia.

Foto Cine Clube e Photo Club Brasileiro foram os locais mais importantes deste movimento, onde diversos fotógrafos tiveram grande importância, como Geraldo de Barros, Eduardo Salvatore e ​Herminia de Mello Nogueira Borges.

Fotojornalismo

Entre os anos de 1940 e 1950, as fotografias passaram a ser utilizadas também no jornalismo.

Revistas como a Cruzeiro e também o Jornal do Brasil tiveram papel fundamental nessa inclusão, já que passaram a publicar as imagens em suas páginas.

Publicidade

Até 1948 as campanhas publicitárias eram feitas apenas com desenhos e ilustrações.

O Cearense Chico Albuquerque foi o responsável por começar esse mercado, ainda desconhecido por aqui.

A campanha da Johnson & Johnson foi a primeira a mostrar juntos modelo e produto.

 Sebastião Salgado

Impossível falar da fotografia brasileira sem citar Sebastião Salgado.

O fotógrafo brasileiro de maior reconhecimento no exterior nasceu em Minas Gerais, mudando-se para Paris em 1969.

Dez anos depois, foi selecionado para fazer uma série fotográfica sobre os primeiros 100 dias de governo de Ronald Reagan. Salgado acabou documentando o atentado sofrido pelo então presidente americano.

Suas fotos foram compradas por jornais do mundo todo, tornando-o um fotógrafo conhecido internacionalmente.

A fotografia faz parte da história do Brasil, desde seus primórdios, estando cada vez mais presente em nosso cotidiano. Não importa se é filme de 36 poses, celular, ou câmara escura.

As fotografias fazem parte da nossa vida registrando momentos importantes, ou simples, e continuarão assim pra sempre.

 

Gostou desse post? Curta nossa página e compartilha com os amigos! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *